Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Boletim "O Gafanhoto"


VISITAS


Área Reservada


SEGUE-NOS


calendário

Setembro 2019

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D


Campanha MINIBASQUETEBOL

por gdgbasquetebol, Sexta-feira, 07.10.16

O GDG Basquetebol está a promover uma campanha de recrutamento de jovens atletas que queiram fazer parte desta maravilhosa família e queiram praticar um dos melhores desportos do mundo: o basquetebol.

Neste sentido, iniciaram-se as acções de mobilização junto dos alunos do 1º ciclo (6 aos 9/10 anos) e está para muito breve a sensibilização junto dos alunos do 2º ciclo (10 aos 11/12 anos).

Os objectivos são precisos, mesmo que simples: promover o basquetebol como modalidade preferida dos mais jovens; sensibilizar jovens e pais para os benefícios da prática desportiva para a saúde e socialização das crianças e jovens; e projectar o futuro da modalidade no clube alargando e consolidando o número de praticantes nos escalões de iniciação (minibasquetebol).

A campanha centra-se na distribuição de informação aos alunos com o aliciante de haver ofertas promocionais para as crianças e jovens que queiram inscrever-se no Basquetebol do GDG.

GDG Convites Minibasquetebol.png

Por outro lado, o clube promove, simultaneamente, uma campanha interna "Traz um Amigo também..." sensibilizando os actuais atletas para que promovam o GDG Basquetebol junto dos seus ciclos de amigos e os conquistem para a prática da modalidade no clube. Também aqui há muitas surpresas que premeiam o esforço dos atletas que se empenhem em ajudar o clube a crescer.

campanha traz um amigo Minibasquetebol.png

 SER GDG É SER ÚNICO...

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 10:56

A equipa sénior masculina do GDG Basquetebol na primeira pessoa

por gdgbasquetebol, Quarta-feira, 17.09.14

Na época passada a equipa Sénior masculina do Grupo Desportivo da Gafanha Basquetebol estive muito perto de alcançar o objectivo de passar à segunda fase da prova nacional: I Campeonato Nacional 1ª Divisão masculina (junção das anteriores CNB1 e CNB2).

Este ano o escalão mais alto da competição do clube repete a presença na mesma prova, II Campeonato Nacional 1ª Divisão masculina, integrando a Zona Norte – Grupo Centro.

Neste grupo os seniores masculinos do GDG Basquetebol, de novo sob o comando técnico do treinador João Anastácio, irão defrontar a Académica de Coimbra (ex Liga Profissional); “Os Povoenses”; CAD (Coimbra Basquete); o Clube dos Galitos; o Illiabum “B”, clube que na época passada subiu da Proliga à Liga Profissional; o Lousanense; o Olivais e o Conimbricense.

A primeira jornada, do calendário provisória, ditou o derby regional, Gafanha vs Illiabum “B”, que deverá ser disputado no dia 18 de outubro.

Elevando as expectativas para esta época 2014-2015, o GDG Basquetebol ouviu o treinador João Anastácio (pela quinta época no clube) e o atleta Luís Silva, há três épocas no clube e que se estreia, este ano, como capitão da equipa.

Os Séniores estiveram muito perto de alcançar a passagem à segunda fase do nacional, na época passada. Como é que foi projectada esta renovada equipa e quais as perspectivas?

(João Anastácio) Foi-me pedido para tentar criar um grupo mais experiente e competitivo, para elevarmos um dos objectivos que pretendíamos o ano passado, estar na segunda fase.

Fizemos uma reunião no final da época para aferirmos quem gostaria de continuar e assim criar uma base de atletas e, com isso, definir quem teríamos que convidar para completar o grupo. Não esquecendo um ou outro jovem do GDG com competências para integrarem a equipa sénior.

Espero um grupo ambicioso, unido e com muita vontade de trabalhar e lutar em cada treino, para aparecermos da melhor forma nos jogos.

A competição é dura e muitas vezes cria a ilusão de alguma facilidade. Em termos competitivos houve algum benefício com a junção da CNB1 e CNB2 num só campeonato?

Parece-me que a fusão não é uma má opção pois torna o campeonato mais competitivo, não só pelo maior número de equipas mas também pela maior qualidade delas.

Dentro dessa perspectiva, mais competitividade e mais qualidade, o trabalho foi planeado com significativo rigor.

Esta equipa começou a ser projectada após o final da época passada. Foram convidados jogadores que eu conhecia, sabia dos valores individuais de cada um, como pessoas e como atletas. Cabe-nos a nós, agora, desenvolver uma boa equipa.

Não deixar de referir que me sinto bastante satisfeito pelo grupo criado e por estas duas semanas de trabalho onde têm demonstrado uma vontade enorme em evoluírem como equipa. Quanto ao trabalho propriamente dito, comecei a pensar nele após a construção do grupo, isto ainda em maio. Estamos um pouco atrasados nos conteúdos tácticos (ofensivos e defensivos) que eu pretendia para estas duas primeiras semanas, mas ainda temos tempo de nos preparar da melhor forma e aparecer bem no inicio da competição.

A equipa vai disputar, na primeira fase, o campeonato nacional integrando o Grupo Norte – Centro. Neste grupo estão presentes equipas com experiência recente de Liga e Proliga, bem como equipas com clara aspiração à subida. Neste quadro mantêm-se os objectivos para esta época…

O objectivo passa por assegurar um lugar na segunda fase, aí chegados, temos que redefinir os objectivos. Independentemente do grupo ao qual pudéssemos pertencer seria sempre difícil alcançarmos esse objectivo, mas é por ele que vamos lutar. Só com muito trabalho, entrega, união, espírito de sacrifício e respeito por todos e por aquilo a que nos propomos é que podemos alcançar os nossos desejos.

Um outro olhar, com as palavras do capitão Luís Silva.

Um grupo renovado, com muitas caras novas… qual é o espírito da equipa?

(Luís Silva) O espírito tem sido bastante bom. É verdade que temos um grupo muito renovado, mas creio todos os jogadores já se conheciam e muitos já jogaram juntos, no GDG e em outros clubes, o que facilita o processo. Além disso, todos os que chegam de novo à equipa vêm acrescentar qualidade e soluções. Estamos a falar de excelentes jogadores, com muita experiência em equipas e campeonatos muito competitivos, o que facilita e faz com que a que a equipa esteja com um bom espírito e com vontade de trabalhar.

Nessa perspectiva como é que a equipa está a encarar este início de época?

Estamos a tentar crescer enquanto equipa. Se é verdade que todos os elementos da equipa têm muita qualidade e valor individual, também é verdade que temos ainda que construir e cimentar os processos enquanto equipa. Estamos a assimilar as ideias e estratégia que o treinador definiu para conseguirmos atingir os objectivos a que nos propomos. Há ainda muito trabalho pela frente, mas estamos confiantes nas nossas capacidades e até começar a competição teremos com certeza um grupo e uma equipa mais forte.

Isso é confiança em que a equipa possa chegar longe, no campeonato…

Face ao grupo que estamos a criar, não escondemos que temos a ambição de fazer ainda melhor que nos anos anteriores. No ano passado penso que poderíamos ter chegado à segunda fase, pelo que este ano temos em mente esse objectivo. Não sabemos ainda as equipas que farão parte do nosso campeonato, mas serão com certeza adversários complicados, pelo que temos que trabalhar nos limites para o conseguirmos, em cada treino e em cada jogo.

Uma surpresa (ou não) nesta renovada equipa. Há um novo capitão…

Ser capitão desta equipa é sem dúvida um motivo de orgulho e ao mesmo tempo uma responsabilidade acrescida. Procuro ajudar todos, colegas e treinadores, com o meu trabalho e partilhando um pouco da minha experiência. Mas não me vejo diferente de nenhum colega por ser capitão, sou apenas mais um dentro do grupo, com muita vontade de trabalhar e ajudar a equipa e o clube.

 Mas não deixas de ser uma referência na equipa, aliás, podemos também dizer uma referência para os atletas mais jovens. Que mensagem gostarias de lhes deixar?

Mesmo sem nos apercebermos todos somos referências para os atletas mais jovens, no dia-a-dia. Dessa forma, procuro trabalhar e ter um comportamento o mais correcto e empenhado, seja em treinos ou em jogos, condigno com os valores do clube e da modalidade. A mensagem que deixo a todos, jovens e menos jovens (como eu), é que aproveitem ao máximo cada oportunidade e cada dia, fazendo aquilo que tanto gostamos, que é jogar basquetebol, mas sempre respeitando todos, os colegas, os treinadores e os adversários.

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 15:15

Atleta do GDG Basquetebol - Marta Lino - integra CAR Jamor

por gdgbasquetebol, Terça-feira, 16.09.14
Marta Lino 2

Depois da atleta Joana Soeiro, o GDG Basquetebol vê mais uma atleta sua, Marta Lino (Sub16 femininos) ser convidada para integrar o Centro de Alto Rendimento do Jamor, onde já se encontra desde esta segunda-feira (15 de setembro).

A funcionar na modalidade desde de 1999/2000 o Centro Nacional de Alto Rendimento do Jamor tem como objectivo a formação de jogadores de alto rendimento. Deste modo, o GDG Basquetebol tem um enorme orgulho e uma esperança acrescida para o futuro pela escolha da sua atleta Marta Lino para integrar o lote das jogadoras de selecção do basquetebol nacional.

Recorde-se que a Marta Lino, agora no escalão de Sub16 femininas, foi, na época passada, campeã distrital de Sub14 femininas e terceira classificada na fase final nacional.

A atleta irá integrar ainda a equipa do CAR Jamor Sub 16 femininos que competirá na zona de Lisboa (às quartas-feiras) mas irá manter o seu vínculo à equipa Sub 16 feminina do GDG Basquetebol, integrando a competição distrital, junto com as suas colegas, aos fins-de-semana.

O GDG Basquetebol quis saber qual o “estado de espírito” da sua atleta Marta Lino nesta sua nova etapa pessoal e desportiva.

Marta, a época 2013-2014 para as Sub14 femininas, onde estiveste envolvida, foi marcada por significativos sucessos desportivos. Como é que descreves essa experiência?

(Marta Lino) Para mim foi a época mais memorável de sempre. Foi o reconhecimento do trabalho feito durante uma época que, mesmo com tantas lesões em vários elementos da equipa, sempre com a motivação do André Janicas em não nos deixar desistir, conseguimos ganhar o campeonato distrital e alcançar o 3º lugar no Nacional. “Juntas seremos mais fortes”. Só tenho agradecer à equipa e ao André Janicas por nos ter feito acreditar que para conseguir temos que trabalhar e querer muito.

Por falar em “trabalhar muito”, recentemente tiveste a experiência de um estágio pré-época. Que balanço fazes dessa experiência?

Para mim foi espectacular por vários motivos: o convívio, os treinos que foram diferentes e as actividades que nos foram propostas que nos motivaram ainda mais. Foi uma semana única em que me diverti imenso.

Aos 14 anos vês-te premiada com a presença no Centro de Estágio de Alto Rendimento (CAR Jamor), aliás algo que aconteceu recentemente com uma outra atleta do GDG Basquetebol, a Joana Soeiro.

Esta noticia foi uma enorme surpresa não estava a contar ser seleccionada, foi uma grande felicidade pois é uma oportunidade única. Ser treinada pela treinadora da selecção nacional, com atletas de “outro nível”, é uma mais-valia na minha aprendizagem como atleta e como pessoa. O que mais me assusta é ter dificuldade em me adaptar na escola.

E para além da questão, importantíssima, da escola…

Espero que esta oportunidade me faça crescer não só como pessoa mas também como atleta, e espero que o André Janicas esteja sempre disponível para me ajudar quer como treinador mas também como um amigo de quem gosto muito.

Vais para a zona de Lisboa mas não abandonas a tua equipa Sub16 feminina do GDG Basquetebol. O que esperas deste teu novo grupo?

Espero que consigamos trabalhar em equipa, todas com o mesmo objectivo, pois só assim é possível alcançar os objectivos pretendidos e que seja outra época memorável.

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 13:59

Atleta Francisco Amarante, do GDG Basquetebol, em discurso directo

por gdgbasquetebol, Quinta-feira, 21.08.14

O atleta do GDG Basquetebol, Francisco Amarante, recentemente campeão distrital de Sub14 masculinos, foi um dos três atletas portugueses escolhidos pela Federação Portuguesa de Basquetebol e que participou no CAMP PASS IT ON, que decorreu em Istambul-Turquia entre os dias 11 e 18 de agosto.

Este Campus Internacional de Basquetebol foi organizado pela FIBA (Federação Internacional de Basquetebol) e juntou cerca de 200 atletas com idades compreendidas entre os 9 e os 16 anos e perto de 100 treinadores, representando, ao todo, 87 nacionalidades.

O GDG Basquetebol ouviu, em discurso directo, esta importante experiência vivida pelo seu jovem atleta e que será, claramente, um marco importante no seu percurso na modalidade.

 

Francisco, qual foi a sensação quando soubeste que tinhas sido seleccionado e como é que te chegou esse convite?

A sensação ao receber a notícia foi pensar que estavam a brincar comigo, que alguém queria pregar-me uma partida. Depois de ter a certeza, foi uma surpresa muito agradável pois não esperava nada por isto.

Recebi o convite através do Director Técnico da ABA, Prof. Pedro Cura, a quem quero aqui deixar aqui o meu obrigado.

Como é que te preparaste para este Campus? Alteraste as tuas rotinas, sentiste uma ansiedade…

Preparei-me para o campus de uma forma normal. Treinei em casa, nos treinos que ainda decorreram e também sozinho. Nada de especial mas treinei muito tempo, sempre a pensar que o que ira fazer lá era aprender mais.

Tinhas alguma noção do que irias encontrar? Perguntaste a alguém como é que podia ser?

Não sabia nada como iria ser. Sabia que iria ser certamente uma boa e única experiência mas não sabia como era o ritmo, nem nada disso. Não falei com ninguém que já tivesse ido ou que soubesse como era, até porque não encontrei muita informação disponível.

Foste de avião…

Pois… A viagem até foi boa, foi confortável, embora com um pouco de frio na barriga porque ia de avião. Mas correu muito bem. Quando chegámos lá já tínhamos as pessoas à nossa espera para nos transportarem para o CAMP PASS IT ON. 

Que actividades foram realizadas no Campus? Foi apenas basquete ou houve outro tipo de acções?

O Campus não servia só para aprender basquetebol, para ouvir os treinadores e a sua experiência, para treinar (muito) e para jogar. Claro que o conceito principal era o basquetebol, mas havia todos, ou quase todos os dias, actividades em grupo onde se conheciam diferentes culturas e onde se faziam bons e muitos amigos.

O que é que mais te marcou nesta experiência?

O que foi mais marcante para mim foi a interacção necessária e importante, dentro de uma equipa, que temos te ter no jogo colectivo 5x5. Este espírito de equipa esteve permanente durante em toda a semana. E foi muito importante até porque estávamos a relacionar-nos com outras pessoas do outro lado do mundo e que nunca poderíamos ver na vida. Isso foi muito bom.

Mas nem tudo foram ‘rosas’…

Isso é que era bom… A maior dificuldade que senti foi entender turco muito embora não fosse preciso.

Mas foi também trabalhar todos os dias. O cansaço acumulado era muito e é difícil gerir isso, mas o mais importante é estar sempre alegre, fazendo amigos. Basta dizer que começávamos as 07.30 da manhã e terminávamos pelas 24.00 horas, tendo quase diariamente cerca de 6 horas de actividades, durante toda a semana, entre jogos e treinos.

O que te enriqueceu… o que é que achas que esta experiência te pode ajudar como pessoa e atleta?

Este Campus serviu também para sermos mais independentes, termos mais cuidado com as nossas coisas. Mas acima de tudo serviu para todos fazermos e aprendermos a fazer aquilo que mais gostamos que é jogar basquetebol. Fui para lá para aprender a fazer isso melhor, aprendendo novas coisas, novos exercícios e muitas mais coisas. E claro, aproveitar também para mostrar quem somos e o que somos capazes de fazer.

Alguma vez pensaste sonhar com uma “aventura” assim?

Não! Nunca pensei que isso acontecesse. É uma experiencia que quem a vive nunca a vai esquecer e eu pensava sempre que nunca iria teria essa oportunidade. Agradeço muito por me a terem dado.

Isso significa que o Campus superou as tuas expectativas…

Superou e muito aquilo que eu estava à espera. É uma sensação espectacular estar dentro de campo e a treinar com pessoas que não conhecemos ou que conhecemos há dois dias e já somos bons amigos, jogando em equipa sem mesmo nunca estarmos parados pois tínhamos sempre coisas para fazer. É mesmo espectacular.

Obrigado por esta experiência a quem acreditou e confiou em mim para representar Portugal nesta festa onde o basquetebol é rei, mas onde também se cultiva um projecto de responsabilidade social da federação turca de Basquetebol e da FIBA, tendo incumbido a missão a cada um dos participantes de promover em cada país os valores do basquetebol.

Que mensagem queres deixar aos teus colegas e treinadores.

A mensagem que tenho para os meus colegas e treinadores é dizer obrigado por me ajudarem a crescer todos os dias como pessoa e como atleta e quero pedir que me continuem a ajudar pois o caminho é longo.

Em jeito de conclusão e esquecendo agora o basquetebol. O que foi para ti ir até à Turquia?

Foi uma experiência fora do normal. Ver outra cidade. Ver coisas tão bonitas dentro dela e no fim ir jogar basquetebol para terminar com a cereja no 'topo da bola'.

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 10:21

Yos no Projecto 2002 da ABA

por gdgbasquetebol, Quinta-feira, 26.06.14

Depois da inequívoca conquista do Campeonato Distrital de Sub 14 masculinos, a equipa neste escalão do GDG Basquetebol tem mais um motivo de orgulho. O seu atleta Yosvani Colanda foi um dos seleccionados para o Projecto 2002 da Associação de Basquetebol de Aveiro (Sub 12).
Este projecto reúne 16 atletas, masculinos e femininos, escolhidos entre os clubes da Associação de Basquetebol de Aveiro com o objectivo de preparar a participação da ABA na IV Festa do Minibasquete que se realizará em Paços de Ferreira, no primeiro fim-de-semana de julho.
O GDG Basquetebol vê confirmada a presença de um atleta seu, por sinal, recentemente campeão distrital de Sub 14 masculinos.
Parabéns, Yosvani. Bom trabalho.

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 10:25

Bruna Zagaria no 5 Ideal - Final Nacional Sub 14 Femininos

por gdgbasquetebol, Quarta-feira, 25.06.14
Depois da surpreendente mas merecida conquista do 3º lugar na Fase Final do 1º Campeonato Nacional de Sub 14 Femininos, o Grupo Desportivo da Gafanha Basquetebol tem mais um motivo de orgulho. A sua atleta (nº 6) da equipa Sub 14 femininos, Bruna Zagaria, foi escolhida para o 5 Ideal da Final Nacional Sub 14 Femininos que se disputou no fim-de-semana de 20, 21 e 22 de junho, em Ponte de Lima.
PARABÉNS Bruna. Com esforço e querer tudo se consegue.
(ao centro - Bruna Zagaria, atleta das Sub 14 femininos do Grupo Desportivo da Gafanha Basquetebol no 5 ideal da Final do Campeonato Nacional de Sub 14 Femininos - 20, 21 e 22 de junho - Ponte de Lima).

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 14:24


SUCESSO - X Torneio Internacional e VI Torneio Carnaval


SlideShow - PATROCINADORES


EQUIPAS 2017/18


TREINADORES 2017-2018

COORDENAÇÃO

Coordenação Geral

Minibasquete

MASCULINO

Seniores

Sub 18

Sub 16

Sub 14

FEMININO

Seniores

Sub 19

Sub 16

Sub 14

INICIAÇÃO - MINIS

Sub 13 - iniciação

Minibasquete